Faça parte. Contribua

Vamos juntos manter o Instituto Lula em atividade neste primeiro semestre de 2018

Participe

Instituto Lula

Menu

Alimentação escolar do Brasil ainda é exemplo internacional

16/10/2017 12:26

Delegação da Guiana conheceu escolas e propriedades rurais de agricultores familiares. Foto: FAO/Fernanda Baldo

Da ONU Brasil 

Para conhecer o Programa de Alimentação Escolar do Brasil (PNAE), representantes do governo da Guiana viajaram até Vitória, no Espírito Santo, onde puderam ver em primeira mão como a agricultura familiar é inserida nas cadeias de abastecimento dos colégios públicos brasileiros. Viagem ocorreu dos dias 10 a 11 de outubro e foi promovida pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), com apoio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Sandra Granger, primeira-dama do país sul-americano, e outros nove ministros de Estado da Guiana visitaram a Escola Municipal Eunice Pereira da Silveira, em Tabuazeiro, e o Centro Municipal de Educação Infantil Aécio Bispo dos Santos, no Jaburu. A delegação também conheceu agricultores familiares de Santa Maria de Jetibá, zona rural do Espírito Santo, para entender como funciona a comercialização dos produtos do campo para os centros de ensino.

A secretária de Educação, Adriana Sperandio, explicou que, durante os 200 dias letivos do ano, são servidas cerca de 23 milhões de refeições aos estudantes das 103 unidades de ensino de Vitória, um número considerado bastante alto. “Trabalhamos buscando a excelência, focando numa alimentação balanceada e sustentável.”

Ao longo da viagem, as autoridades guianenses reuniram-se com representantes do governo brasileiro e local para obter informações sobre como são geridas as aquisições públicas de produtos da agricultura familiar. Alimentos são encaminhados aos colégios que fazem parte do PNAE.

Atualmente, a FAO desenvolve, com o Brasil, um projeto regional para promover a alimentação escolar na América Latine e Caribe. Para a coordenadora da iniciativa, Najla Veloso, as missões técnicas, como a realizada pela Guiana, são essenciais na difusão de boas práticas.

“Ver na prática significa a oportunidade de perceber que, com uma gestão compromissada, eficiente e organizada, nós podemos ter a alimentação escolar na estrutura que nós definimos”, avaliou a especialista.

Terri Raney, do Escritório Sub-regional da FAO para o Caribe, elogiou os espaços escolares e a qualidade dos alimentos oferecidos. “Também me impressionou o comprometimento da comunidade, dos profissionais e das lideranças com a dignidade das crianças. É o que há de mais importante, como um pilar fundamental para o desenvolvimento. Com isso, vocês formam verdadeiros cidadãos, não apenas estudantes”, afirmou.

A Guiana é um dos 13 países participantes do programa da FAO sobre alimentação escolar, ao lado de Belize, Costa Rica, El Salvador, Granada, Guatemala, Honduras, Jamaica, Paraguai, Peru, República Dominicana, Santa Lúcia e São Vicente e Granadinas. A visita da delegação contou com o apoio também da Prefeitura de Vitória e da Secretaria Municipal de Educação.


Para conhecer mais as políticas públicas do governo Lula, visite o site Brasil da Mudança.