Faça parte. Contribua

Vamos juntos manter o Instituto Lula em atividade neste primeiro semestre de 2018

Participe

Instituto Lula

Menu

"Crime de Lula foi defender a dignidade do povo"

10/08/2018 10:03

Foto: Joka Madruga/Agência PT

Por Luís Lomba, da Agência PT de Notícias

O ex-presidente Lula recebeu nessa quinta feira a visita de Sharan Burrow, secretária-geral da Confederação Sindical Internacional (CSI). “Vim trazer a ele a solidariedade de 207 milhões de trabalhadores de todo o mundo”, disse a líder sindical, que veio a Curitiba acompanhada do presidente da CUTVagner Freitas.

“Eu disse a Lula que  a não ser defender a dignidade, os direitos e a prosperidade de seu povo”, completou. Segundo ela, as adversidades não abateram o ex-presidente. “Ele está preparado para prosseguir na luta seja quais forem as exigências.”

Joka Madruga/Agência PT

Sharan disse também que Lula transmitiu a ela uma mensagem muito clara: é candidatíssimo a presidente da República e não vai retirar sua candidatura. “Por que ele quer ser presidente? Porque está preocupado com o País e sabe que o povo não precisa viver na pobreza. Ele está preocupado com o crescimento da desigualdade aqui.”

A líder sindical ressaltou a importância do legado de Lula, não só para o País, mas também no exterior. “Esse homem é um líder para o Brasil e para toda a classe trabalhadora em todo mundo”, afirmou.

Segundo Sharan, o ‘crime’ de Lula foi incomodar as elites do Brasil e do mundo. “Ele perturbou as grandes empresas e a ganância dos corrupção, pois queria distribuir as riquezas da economia mais igualmente com seu povo”, analisou. “Lula foi um herói como líder sindical, como presidente e vai continuar sendo herói como líder do futuro”, afirmou.

A sindicalista criticou o Judiciário brasileiro por encarcerar Lula sem prova de sua culpa. “Fico triste de ver que o sistema de justiça no Brasil seja tão corrupto que Lula esteja colocado numa solitária, quando deveria estar com seu povo”, comentou.

Claudio Kbene

Vagner Freitas também repassou um recado de Lula após o encontro na sede da Polícia Federal. “Ele pediu para informar a todos no Brasil inteiro que Fernando Haddad é o representante dele, as pernas dele, a voz dele enquanto estiver preso”, disse. Segundo Freitas, Lula está confiante de que vai subir a rampa do Palácio do Planalto e tomar posse na Presidência da República em primeiro de agosto de 2019.