Instituto Lula

Menu

Saiba o que é e o que faz o Instituto Lula

12/06/2015 14:37

Dúvidas frequentes 

O que é o Instituto Lula?
É uma instituição sem fins lucrativos que tem como objetivos principais compartilhar experiências de políticas públicas de combate à fome e à pobreza com os países da África, promover a integração da América Latina e ajudar a fazer o resgate da história da luta pela democracia no Brasil.

Para que foi criado o Instituto Lula?
Quando terminou seu mandato como presidente, em 2011, Lula decidiu compartilhar experiências acumuladas ao longo de anos de vida pública. Após deixar o cargo, reuniu-se com colaboradores e amigos e decidiram criar o Instituto Lula, no mesmo local onde, na década de 90, funcionou o Instituto Cidadania, responsável pela formulação de várias políticas públicas postas em prática durante seu governo, como o Fome Zero. No Brasil, como em outros países, é comum que ex-mandatários criem instituições responsáveis por apoiar suas atividades, organizar e preservar seus acervos documentais e históricos, além de promover debates sobre os temas mais caros a cada um. Assim fizeram, por exemplo, nos Estados Unidos, Bill Clinton, Jimmy Carter e George W. Bush; na África do Sul, Nelson Mandela; no Reino Unido, Gordon Brown e Tony Blair; no México, Centro Lázaro Cárdenas y Amalia Solórzano; no Chile, Ricardo Lagos; no Brasil, Fernando Henrique Cardoso e José Sarney, entre outros.

Como ele nasceu?
A partir da observação e do estudo de experiências brasileiras e internacionais de instituições criadas por ex-presidentes e ex-primeiros-ministros. O atual presidente do Instituto, Paulo Okamotto, visitou diversas organizações – como a Fundação Nelson Mandela, em Joanesburgo – para entender como funcionavam e adotar asmelhores práticas na formatação do Instituto Lula. O novo Instituto nasceu com um legado de mais de uma década do Instituto Cidadania. Para saber mais sobre a história do Instituto Lula:http://www.institutolula.org/historia

O que ele faz?
É um espaço de interação e diálogo para aqueles que compartilham os ideais de Lula: a luta pela justiça social, o combate à fome, à pobreza e a todas as formas de desigualdade; o fortalecimento da democracia; o respeito aos direitos humanos; a construção da paz mundial. O Instituto Lula possui uma forte vocação internacional, tendo como principais frentes de atuação a promoção da integração entre os países da América Latina e a melhoria das relações entre o Brasil e o continente africano. Para colocar em prática sua visão, o Instituto promove e participa de atividades nos mais diferentes formatos: encontros com chefes e ex-chefes de Estado e de Governo, ministros, representações diplomáticas, seminários, debates, fóruns e grandes eventos. Por exemplo, o seminário realizado em conjunto com a União Africana, o Nepad (a agência de desenvolvimento da África) e a FAO, em Adis Abeba, que contou a participação de sete chefes de Estado e de Governo, 400 autoridades, representantes de organismos multilaterais e estudiosos que definiu um programa de ações visando a erradicação da fome em África até 2025, proposta referendada depois, em janeiro de 2015, pela Conferência da União Africana. Outro grande evento promovido pelo Instituto Lula teve a América Latina como tema. Em parceria com a Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL-ONU), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Banco de Desenvolvimento Latino-americano (CAF), foi realizado em 2013 o Seminário “Desenvolvimento e Integração da América Latina”, em Santiago, Chile, com a presença do ex-presidente chileno Ricardo Lagos e a de 120 lideranças politicas, sociais e intelectuais de 10 países da região. Foi debatida uma agenda concreta para o desenvolvimento e a integração regional nas áreas econômica, física, energética e social da América Latina. O Instituto Lula também publicou o site “O Brasil da Mudança”, que reúne informações sobre a concepção e os resultados de diversas políticas públicas executadas a partir de 2003. Em breve, lançaremos também o site “Memorial da Democracia”, um resgate dos principais capítulos da história de luta pela construção da democracia em nosso país. Além disso, o Instituto também é responsável por dar todo o apoio necessário para as diversas atividades em que o ex-presidente Lula participa, como homenagens, entrevistas, viagens nacionais e internacionais. Para isso, conta com equipes que cuidam da agenda de Lula, de sua assessoria de imprensa e sua comunicação digital, de suas correspondênciase da logística de suas viagens.

De onde vem o financiamento do IL?
Tal como acontece com todas as entidades desse tipo no Brasil e no mundo, o Instituto Lula financia suas atividades por meio de doações espontâneas de empresas privadas e pessoas físicas. Também realiza eventos e atividades em parceria com órgãos multilaterais e outras fundações e institutos internacionais. Como qualquer entidade privada, o Instituto declara suas movimentações à Receita Federal e cumpre todas suas obrigações tributárias. O Instituto Lula não recebe qualquer tipo de verba pública.

Por que o Instituto Lula tem tanta ligação com a África?
Ao longo de seus mandatos como presidente, Lula imprimiu um novo tom à política externa brasileira, dando prioridade à diversificação de parceiros internacionais e à construção de relações diplomáticas com países que, até então, eram considerados pouco importantes. Os países africanos passaram a ocupar um espaço importante na agenda brasileira. A nova política externa brasileira compreendeu que nossas relações com os países africanos passavam também pela cooperação para o desenvolvimento, com o compartilhamento de políticas públicas exitosas e o incentivo ao investimento brasileiro em países africanos. Ao longo de seu governo, Lula fez 33 viagens à África – visitando 26 países diferentes, inaugurou 19 representações diplomáticas e tomou iniciativas simbólicas fundamentais para a construção de um novo marco histórico em nossas relações com os países africanos. O Brasil é hoje o quinto país do mundo em número de embaixadas na África, com um total de 37. Ao terminar seu mandato, Lula acreditava que como ex-presidente poderia contribuir para que as relações entre o Brasil e os países africanos se fortalecessem ainda mais. Pelo Instituto Lula, fez 12 viagens no interior do continente, visitando nove países.Assim, decidiu estabelecer a Iniciativa África, hoje coordenada pelo diretor do Instituto Lula, Celso Marcondes, diretor do Instituto. Conheça mais sobre a concepção e as atividades da Iniciativa África:http://www.institutolula.org/africa)

E com a América Latina e Caribe?
Durante o governo Lula, a integração latino-americana foi eleita como objetivo estratégico da política externa brasileira. Ao longo de seus oito anos como presidente, Lula fez 114 viagens aos países da região. A prioridade dada às relações com estes países e às organizações regionais de nosso continente – como o Mercosul, Unasul e a Celac – permitiram avançar significativamente no processo de integração comercial, política e cultural da América Latina. Como ex-presidente, Lula decidiu manter-se engajado na construção da integração latino-americana em diversas áreas: econômica, física, energética, social e cultural. Para isso, criou a Iniciativa América Latina, hoje coordenada pelo ex-ministro e atual diretor do instituto Luiz Dulci. O Instituto Lula participa e organiza diversos eventos para debater estratégias de integração do continente com governantes, importantes intelectuais, organismos multilaterais, representantes do movimento sindical, movimentos populares e do setor produtivo. Em 2015, foi realizado o colóquio “A integração das cadeias produtivas na América do Sul”, em São Paulo, organizado em parceria com a Unasul e que teve a presença de Ernesto Samper, secretário-geral da entidade e ex-presidente da Colômbia. O “Colóquio Chile-Brasil”, em 2014, reuniu estudiosos, líderes políticos e representantes sindicais e sociais em São Paulo e foi promovido em parceria com a Embaixada chilena, Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso-Chile) e a Universidade Federal de Integração Latino-Americana (Unila). O seminário “Desenvolvimento e Integração da América Latina” (2013), foi promovido pela Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) e pelo Instituto Lula e reuniu 10 países da região para debater integração econômica, física, energética e social da América Latina. Desde a criação do Instituto, esse é um tema de trabalho permanente e diversos outros encontros e debates são realizados com frequência. Saiba mais sobre a concepção e as atividades dessa iniciativa:http://www.institutolula.org/america-latina

O dono do instituto é o Lula?
Não. O ex-presidente ocupa o cargo de presidente de honra do Instituto, que tem cinco diretores: Paulo Okamotto (presidente), Clara Ant, Luiz Dulci, Paulo Vannuchi e Celso Marcondes. Além disso, o Instituto possui um conselho composto de 40 personalidades de diversas áreas, que contribuem para avaliar e estabelecer as diretrizes de sua atuação. O Instituto possui também uma ampla rede de colaboradores, que têm sido convidados a contribuir nos debates temáticos promovidos ao longo dos últimos anos. Recentemente, o IL constituiu também seu Conselho África, com outros 40 integrantes, entre os maiores estudiosos brasileiros sobre o continente africano, sindicalistas, lideranças populares e representantes de organismos multilaterais e ONGS, como a Unicef, o World Food Programme, a Bill &Melinda Gates Foundation e a FAO. Veja em: http://www.institutolula.org/instituto-lula-agora-tem-conselho-africa

O PT é o dono do Instituto Lula?
Não, o Instituto Lula não é uma organização partidária e mantém relações com lideranças políticas, empresariais, sindicais e populares filiadas ou não a partidos.

Quantos colaboradores tem o Instituto Lula?
O Instituto Lula possui uma equipe com cerca de 30 colaboradores.

As sedes são em quais locais?
Ele possui uma única sede, no bairro do Ipiranga, em São Paulo, onde também funcionava o antigo Instituto Cidadania, dirigido pelo ex-presidente.

Quais foram os principais eventos realizados pelo Instituto?
O Instituto participou, como promotor ou incentivador, de mais de 100 eventos públicos no Brasil e em outros países: conferências, seminários, encontros, reuniões de trabalho, entre outras atividades, sempre com foco em África, América Latina e combate à fome. Entre muitos outros, o IL organizou os seguintes eventos: em 2011 promoveu com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) uma reunião com empresários brasileiros para tratar de investimentos nos países da África; em 2012, organizou o "Fórum para o Progresso Social" em Paris, em conjunto com a Fundação Jean Jaurès, com a presença de intelectuais de todo o mundo, do presidente francês François Hollande e da presidenta Dilma Rousseff. Em 2013, organizou o seminário “Desenvolvimento e Integração da América Latina”, no Chile, feito em parceria com a Cepal (Comissão Econômica para América Latina e Caribe), o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e o CAF Banco de Desenvolvimento da América Latina), e o "Fórum pela erradicação da fome na África até 2025", realizado em Adis Adeba em junho de 2013, organizado pelo IL em parceria com a União Africana, a FAO e o Nepad (agência de desenvolvimento da África). Em 2015, prosseguiu com a série de seminários "Conversas sobre África". Veja mais em http://www.institutolula.org/damos-atencao-a-africa-porque-a-africa-mora-aqui-diz-celso-amorim

Por que não fico sabendo das coisas que o Instituto Lula faz?
Para saber das atividades do Instituto Lula, visite sempre o nosso site, onde postamos notícias, vídeos, áudios e fotos dos eventos realizados pelo Instituto e das atividades que contam com a participação do ex-presidente. Você também pode encontrar conteúdos sobre as atividades de Lula em sua página no Facebook, e no Twitter do Instituto, todos de acesso público e aberto. Além disso, informamos diariamente as atividades do ex-presidente para imprensa, blogs, veículos de entidades das organizações civis. O Instituto Lula mantém uma equipe para atender as solicitações da imprensa nacional e estrangeira.

O ex-presidente Lula cobra para dar palestras e participar de atividades?
A grande maioria das atividades do ex-presidente Lula é organizada por instituições sindicais, populares, órgãos de imprensa e por outras organizações da sociedade civil. Nestes casos, Lula participa gratuitamente. Além dessas atividades, como ex-presidente, Lula recebe convites de diversas empresas e organizações privadas para proferir palestras. Sua participação, nesses casos, inclui o pagamento de honorários. Para receber esses convites e organizar sua participação em palestras, o ex-presidente criou a LILS Palestras e Eventos, empresa que cumpre com todas as suas obrigações legais.