Instituto Lula

Menu

Em Valadares, Lula ouve vítimas da tragédia do rio Doce

24/10/2017 17:30

Do Lula.com.br 

Durante visita na tarde desta terça-feira (24) à Bacia do Rio Doce, em Governador Valadares (MG), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva denunciou a impunidade das empresas responsáveis em jogar toneladas de lama com rejeitos de mineração e metais pesados no Rio Doce, um dos maiores crimes ambientais da história do país, que ocorreu há dois anos.

Ao lado de representantes de movimentos sociais, pescadores, indígenas da tribo Pataxó e moradores diretamente prejudicados pela lama  contaminada nas águas do Rio Doce, o ex-presidente falou sobre a importância da revitalização do rio poluído e cobrou da Samarco, uma das empresas responsáveis pela tragédia, uma explicação a respeito do crime. "Até agora a empresa ainda não deu uma resposta convincente do que aconteceu aqui", disse. "O que eles crêem é que vai ter impunidade e que eles vão sair dessa ilesos", completou Lula.

Veja as fotos do ato no Flickr do Instituto Lula.  

Para o ex-presidente, o poder público tem papel central na recuperação do rio Doce e precisa garantir a sobrevivência das pessoas que tiveram prejuízos com o desastre. "Tinha muita gente que vivia profissionalmente por conta desse rio. A gente só pode fazer esse rio voltar a ter vida útil em sua plenitude, se houver da parte do poder público a consciência de que é preciso investir dinheiro para recuperá-lo".  

Durante a visita, Lula conversou com pescadores do Rio Doce e ouviu as preocupações dos moradores da região. "A caravana tem como objetivo aprender e reaprender um pouco sobre a realidade do nosso país. Estou viajando o Brasil mais para ouvir do que para falar. Quero ouvir vocês", ressaltou o ex-presidente.

Mudanças
Aos valadarenses, Lula destacou os avanços e as mudanças sociais no país durante os governos progressistas. "Conseguimos provar em apenas 12 anos que era possível esse país ser muito respeitado. Era possível as pessoas poderem ter emprego de carteira assinada, entrar na universidade, entrar em um curso técnico, ter a casa própria. Foi possível acreditar que o pequeno produtor e os pescadores pudessem ser respeitados", disse. Lula lembrou ainda que, na história de Governador Valadares, nunca houve um presidente que colocou tantos recursos na região. "Conseguimos provar que pobre também gosta de ser doutor. É só dar oportunidade, porque inteligência o povo tem".

O ex-presidente voltou a reforçar que nada o fará desistir de lutar novamente em defesa dos direitos sociais no Brasil. "Não há nada que me faça desistir da luta para esse país reconquistar a auto-estima e a soberania. Se alguém quiser evitar que eu seja candidato, só tem um jeito: tenha coragem, crie um partido político e tente me derrotar nas urnas", finalizou.

A caravana Lula Pelo Brasil seguiu para o município de Teófilo Otoni (MG), no Vale do Mucuri, onde Lula participa de um ato em defesa da educação.