Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Professor do mês: Emir Sader.

Instituto Lula

Menu

Jovens líderes africanos se reúnem com Lula

08/05/2014 16:54

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Jovens de 20 países africanos como Egito, Nigéria, África do Sul e Tunísia, da rede Global Shapers, se reuniram hoje com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no encontro “Conheça o Líder”, organizado pelo Fórum Econômico Mundial Para a África, em Abuja, Nigéria. A rede reúne jovens que se destacam nas suas comunidades em organização social, política ou empresarial, em uma iniciativa do Fórum Econômico Mundial.

Para baixar fotos em alta resolução, visite o Picasa do Instituto Lula.

Lula respondeu perguntas dos jovens ativistas e contou sobre como se envolveu com política, sua trajetória até a presidência do Brasil e as transformações sociais do país nos últimos 12 anos, como a saída de 36 milhões de pessoas da extrema miséria, a elevação de 42 milhões para a classe média, os 21 milhões de empregos formais e o aumento de 3 milhões para 7 milhões de estudantes universitários no país.

Os jovens perguntaram sobre sua dedicação às relações Brasil-África, os programas sociais brasileiros e a importância da participação política e ativismo. Um jovem egípcio questionou se o melhor caminho para a mudança era a luta institucional ou destruir o sistema político. Lula lembrou a história da redemocratização da América Latina, com a chegada de vários governos progressistas ao poder. “Não há exemplo histórico de quando se abandonou a política, o que veio depois foi melhor”, defendeu o ex-presidente, relembrando o caso do próprio Egito, onde primeiro se derrubou Mubarak, foi eleito Morsi, e depois o presidente eleito caiu, retornando os militares. Lula defendeu que a organização e consciência política é a forma de promover mudanças democraticamente, citando o seu exemplo, o da presidenta Dilma Rousseff e do presidente do Uruguai, Pepe Mujica, que enfrentaram ditaduras e se tornaram presidentes de seus países.