Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Professor do mês: Ricardo Lodi Ribeiro.

Instituto Lula

Menu

Memorial da Democracia: Entenda os processos de Moscou

27/04/2018 12:42

O dirigente bolchevique Grigori Zinoviev, em fotografia do prontuário da polícia política, após sua prisão em 1936

#SejaInstitutoLula #InstitutoLula 


Clique acima para participar do Financiamento coletivo para manter vivo o Instituto Lula.


Memorial da Democracia

O Memorial da Democracia, museu virtual do Instituto Lula, conta a história dos processo de Moscou  e de mais de mil outros episódios da luta por democracia no Brasil de no mundo.

Em 25 de agosto de 1936, com Trótsky já fora da União Soviética, 16 líderes bolcheviques são forçados a confessar supostos crimes e condenados à morte.

Os processos de Moscou (extraído do Memorial da Democracia):
Grigóri Zinoviev, Lev Kamenev e outros 14 dirigentes bolcheviques são condenados sem provas e executados em Moscou, capital da União Soviética, sob a acusação de assassinar o dirigente soviético Sergei Kirov e planejar a morte de Josef Stálin — secretário-geral do Partido Comunista.

O espetáculo foi a primeira farsa jurídica de várias outras, sempre com o mesmo padrão: os réus, em sua maioria militantes do Partido Comunista da União Soviética (PCUS), eram submetidos a torturas, ameaças e maus-tratos, e acabavam confessando crimes que não cometeram — como espionagem, envenenamento e sabotagem.

Centenas de milhares de membros do Partido Comunista e do Exército Vermelho, socialistas, anarquistas e opositores de Stálin seriam perseguidos pela polícia, presos e, se não eram executados, seguiam para campos de concentração.

Essa série de julgamentos públicos dos opositores de Stálin, ocorridos na União Soviética de 1936 a 1938, ficou conhecida como Processos de Moscou. Velhos líderes bolcheviques, que dirigiram a Revolução Russa, foram assim banidos, consolidando o poder absoluto de Stálin.

Documentário
Museu multimídia, o Memorial da Democracia traz trecho de um documentário (em inglês) com filmagens históricas dos Processos de Moscou:

Julgamento de Nikolai Bukharin (1938), em trecho de documentário de autoria desconhecida. 

Tradução para este trechoNarrador: "Este julgamento, que chocou mundo, foi amplamente documentado em vídeo. No entanto, o acusado Bukharin não pode ser visto em nenhum dos filmes. Em contraste, todas as tiradas do promotor Vyshinsky foram gravadas." Dublando o promotor Vyshinsky: "Exatamente um ano atrás o camarada Stálin analisou deficiências em nosso trabalho e chegou à conclusão de que os hipócritas trotskistas precisam ser liquidados".

Música
O Memorial da Democracia traz um acervo musical riquíssimo da cultura brasileira.No episódio dos processos de Moscou, o museu traz um trecho da música "Em redor do mundo", lançada em 1938 por Ariovaldo Pires (Capitão Furtado) e Irmãos Laureano. No final do trecho, a notícia que já chegava ao Brasil: "Voei em riba da Rússia/Só vale a pena de morte".

Conheça o Memorial da Democracia em memorialdademocracia.com.br