Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Professor do mês: Emir Sader.

Instituto Lula

Menu

“Nesses 11 anos aprendi que a gente pode fazer muito mais e pode fazer pelo mundo inteiro”

10/06/2014 19:26

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou do encerramento do Fórum Empresarial: América Latina e Caribe Global 2014 na tarde desta terça-feira (10), em São Paulo. Ele reforçou a ideia de crescimento econômico acompanhado de inclusão social e destacou o papel dos empresários nesse processo. “Quando a gente é governo sabe fazer todo discurso que você pode imaginar, (...) mas se a gente não envolver os empresários nessa história, as coisas não acontecem”.

Segundo ele a integração é um tema muito fácil de falar, sobretudo para um político latino-americano, no entanto, a dificuldade está em colocá-la em prática. Entre outros exemplos, ele citou a unificação da América Latina - mais evidente na última década - e o fortalecimento do Mercosul. “No começo de 2003 tínhamos um fluxo de balança de comércio de 10 bilhões de dólares. Pois bem, nós hoje temos um fluxo de 49 bilhões de dólares”. E completou: “Se nós levássemos em conta nosso potencial de integração, (...) e o Brasil não deve se comportar como adversário de qualquer país da América do Sul,  o Brasil deve se comportar como mercado para qualquer país da América do Sul, esse país faria em dez anos o que não foi feito em 50”.

Lula avaliou que se deve pensar mais politicamente e menos economicamente. “Nesses 11 anos aprendi que a gente pode fazer muito mais e pode fazer pelo mundo inteiro”. E a recuperação brasileira diante da crise de 2008 prova que o país soube se reestruturar mais forte e rapidamente que a União Europeia. “Depois da crise de 2008 nós mostramos que estamos mais preparados para enfrentar a crise que eles”.

A estabilidade conquistada pela Bolívia nos últimos oito anos também ganhou destaque na fala do ex-presidente. “[A política adotada fez com que] em apenas oito anos tivessem uma reserva de divisas naturais que é metade do PIB da Bolívia”.

Em tom descontraído, Lula destacou a oportunidade que se apresenta ao Brasil com a realização da Copa do Mundo que terá início na próxima quinta, dia 12. “De 18 copas, essa parte do mundo, pequena, chamada América Latina, sobretudo a América do Sul, tem nove. Todas do Mercosul (risos). (...) Argentinos, por favor, não se metam em levar a Copa do Brasil”.

Assista a íntegra do encerramento aqui: