Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Professor do mês: Marcio Pochmann.

Instituto Lula

Menu

Recuperação do Rio depende de investimento federal

09/12/2017 17:41

Lula durante encontro com intelectuais e artistas. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse neste sábado (9) que não há possibilidade de recuperar o Rio de Janeiro sem investimentos federais na retomada da Petrobras, da indústria naval e da educação. Para Lula, o governo Temer, atendendo aos interesses do mercado financeiro que patrocinou o golpe, agora está acabando com a indústria nacional, com os direitos trabalhistas e a educação. "Não existe nenhum país que ficou rico sem investir em educação".

Lula participou na manhã deste sábado de um encontro com artistas e intelectuais no Rio de Janeiro. Desde o dia 4, o ex-presidente percorreu cidades do Espírito Santo e Rio de Janeiro na terceira fase da caravana #LulaPeloBrasil, que anteriormente já visitou a região Nordeste e também Minas Gerais.

Num discurso mais intimista do que o usual na caravana, Lula falou durante quase uma hora e 15 minutos para uma plateia de 300 pessoas, entre eles o cineasta Luiz Carlos Barreto, a atriz Cristina Pereira, o ator Tonico Pereira e a filósofa Marcia Tiburi, além dos ex-ministros Fernando Haddad, Franklin Martins, Celso Amorim, Luiz Dulci e José Gomes Temporão.

A intelectualidade foi convidada a participar da construção das saídas para o país. "Quando foi que alguém reuniu os 'doutores' deste estado para discutir juntos as saídas e o futuro do Rio de Janeiro? Nunca. Eu tenho os ouvidos caídos de tanto ouvir. Quero ouvir e construir juntos. Precisamos fazer ainda mais do que fizemos, fazer diferente".

Para o problema da segurança, Lula defendeu que a solução não está somente em mais armamentos, mas principalmente em proporcionar emprego e educação para os jovens.

A necessidade de um referendo revogatório foi novamente destacada, e aprovada pela plateia. "Nenhum presidente eleito teria coragem de fazer o que Temer está fazendo. Nem se tivesse sido eleito com 100% dos votos na China. Ele está acabando com as conquistas trabalhistas desde 1943". Segundo Lula, Temer está atendendo aos interesses do mercado financeiro, que o colocou lá e parte do povo está anestesiado e ainda não entendeu o que aconteceu.

"O golpe de 1964 foi uma cirurgia sem anestesia. Esse golpe foi com anestesia e até hoje tem gente que não acordou. Essa cirurgia ainda vai doer". A anestesia teria sido a tática de desmoralização do adversário político com acusações de corrupção, semelhante à que foi usada no Brasil contra Juscelino e Getúlio e por Hitler, na Alemanha, contra os social-democratas e contra o partido comunista.

O ex-presidente repetiu uma tônica desta caravana: não há saída para a crise do Rio de Janeiro sem a participação do governo federal e a retomada dos investimentos no setor petrolífero, naval e na educação. "A Petrobras não é só uma empresa de petróleo, é uma empresa de desenvolvimento. Os 75% dos royalties do Pré-Sal que iriam para a educação ajudariam o Brasil a recuperar um atraso histórico. Eles acabaram com isso. Entregaram o Pré-Sal aos estrangeiros e ainda deram isenção às multinacionais do setor. Estão vendendo óleo cru e importando gasolina!".

Para ver mais fotos da Caravana pelo Sudeste, visite o Flickr do Instituto Lula.

Veja o vídeo do encontro: