Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Professor do mês: Marcio Pochmann.

Instituto Lula

Menu

Seminário em Minas discute arte e liberdade

31/10/2017 14:01

Do BMG Cultural 

Para estimular um debate de alto nível, abrangente e profundo em torno das relações entre Arte, Liberdade e Democracia, o BDMG Cultural realizará seminário especial nos dias 31 de outubro e 6 de novembro, às 19h, no auditório do BDMGPaulo Camillo (Rua Bernardo Guimarães, 1.600, Lourdes). O acesso é gratuito e não é necessário realizar inscrição.

Com o objetivo de oferecer à sociedade uma reflexão sofisticada a respeito do assunto, o BDMG Cultural convidou os consagrados estudiosos Cristina Castilho (USP), Ivana Bentes (UFRJ), Ângela Salgueiro Marques (UFMG), João Antonio de Paula (UFMG), Moacir dos Anjos (Fundação Joaquim Nabuco) e Maria Angélica Melendi (UFMG). O Seminário será dividido em dois painéis. O primeiro, no dia 31, é intitulado Arte e Política: Impasses e Horizontes. Na segunda-feira, dia 6 de novembro, será discutido O espaço da arte na sociedade brasileira hoje

Mais do que analisar a conjuntura, o seminário pretende lançar um olhar mais amplo sobre a história do país e como a sociedade brasileira vem tratando da matéria ao longo do tempo. “O seminário será uma oportunidade de elevar as discussões relativas aos campos da arte, da liberdade e da democracia. Desse modo, o BDMG Cultural cumpre a função para a qual foi criado, há quase trinta anos: promover a cultura e o pensamento, sempre na sua máxima potência”, explica o presidente do BDMG Cultural Rogério Tavares.

Conheça os convidados:

Ângela Salgueiro Marques – doutora em Comunicação Social pela UFMG, com estágio pós-doutoral na Université Stendhal, Grenobe III, Ângela foi professora do programa de pós-graduação da Faculdade Cásper Líbero, entre 2009 e 2011. Atualmente, ministra aulas de pós-graduação em Comunicação Social na UFMG e é pesquisadora associada ao Grupo de Pesquisa em Democracia e Justiça (Margem) – DCP – Fafich, coordenado pelo professor Ricardo Fabrino. Ângela organizou e traduziu os textos que integram a obra A deliberação pública e suas dimensões sociais, políticas e comunicativas e é co-organizadora, ao lado de Heloiza Matos, da Escola de Comunicação e Artes da USP, do livro Comunicação e política: capital social, reconhecimento e deliberação pública. De sua bibliografia ainda consta o livro Mídia, Ética e Esfera Pública, escrito com Luis Mauro Sá Martino. Suas pesquisas atuais se definem na interface entre a estética e a política, privilegiando as resistências e as insurgências cotidianas.

Moacir dos Anjos – pesquisador e curador de arte contemporânea da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife, onde coordena, desde 2009, o projeto de exposições Política da Arte. Foi diretor do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães - MAMAM (2001-2006) e pesquisador visitante no centro de pesquisa TrAIN – Transnational Art, Identity and Nation, University of the Arts London (2008-2009). Foi curador do pavilhão brasileiro (Artur Barrio) na 54ª Bienal de Veneza (2011); da 29ª Bienal de São Paulo (2010); da 6ª Bienal do Mercosul em Porto Alegre (2007); do 30º Panorama da Arte Brasileira no Museu de Arte Moderna (2007), em São Paulo; da mostra coletiva Cães sem Plumas (2014), no MAMAM; e de exposições retrospectivas dos trabalhos de Cao Guimarães (2013), no Itaú Cultural, e de Jac Leirner (2011), na Estação Pinacoteca, ambas em São Paulo. Publica regularmente em revistas acadêmicas e catálogos de exposição. É autor, entre outros, dos livros Local/Global. Arte em Trânsito (Zahar, 2005) e ArteBra Crítica. Moacir dos Anjos (Automátia, 2010), além de editor de Pertença, Caderno_SESC_Videobrasil 8, São Paulo (SESC/Videobrasil, 2012).

Ivana Bentes – graduada, mestre e doutora em comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente, é professora associada do programa de pós-graduação em comunicação da UFRJ. Foi diretora da Escola de Comunicação da UFRJ, de 2006 a 2013, e secretária de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura do Brasil, de janeiro de 2015 a maio de 2016. Atua na área de Comunicação e Cultura, com ênfase em Teoria da Comunicação, Políticas Culturais, Cultura de Redes e nos seguintes campos: estética, mídia, audiovisual, cinema, imaginário social, pensamento contemporâneo e cultura digital. Ivana se dedica a dois campos de pesquisa: Estéticas da Comunicação, Novos Modelos Teóricos no Capitalismo Cognitivo (CNPq) e Periferias Globais: produção de imagens no capitalismo periférico. Desde 2009 coordena o Pontão de Cultura Digital da ECO/UFRJ. É curadora na área de arte e mídia, cinema e audiovisual. 

Maria Angélica Melendi – graduada em Letras pela Facultad de Filosofia y Letras - Universidad de Buenos Aires e em Artes Visuais pela Escola Guignard, da Universidade do Estado de Minas Gerais. Doutora em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais, é professora associada na UFMG e pertence ao Conselho Editorial da Revista Pós, da mesma instituição. Maria Angélica tem experiência na área de Artes, com ênfase em Fundamentos e Crítica das Artes, atuando principalmente nos seguintes temas: arte contemporânea, memória, arte, corpo e fotografia. Investiga as estratégias de memória desenvolvidas pela arte contemporânea na América Latina em relação aos terrorismos de estado e à violência social, assunto sobre o qual tem publicado livros e artigos em jornais e revistas acadêmicas nacionais e internacionais. É coordenadora do Grupo de Pesquisa Estratégias da Arte na Era das Catástrofes e editora da revista online Lindonéia.

Maria Cristina Castilho Costa – possui bacharelado e licenciatura em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, mestrado e doutorado em Ciências Sociais (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo. É livre docente em Ciências da Comunicação, pela Escola de Comunicações e Artes, da Universidade de São Paulo. Atualmente, é professora titular em Comunicação e Cultura da USP, presidente da Comissão de Pesquisa da ECA/USP e coordenadora do curso de aperfeiçoamento por EaD - Censura e Liberdade de Expressão em Debate, organizado pelo Centro de Investigação Mídia e Jornalismo - CIMJ - (Lisboa, Portugal), do qual é membro e pesquisadora. Maria Cristina tem Pós-Doutorado na Universidade de Coimbra e no Centro de Investigação Media e Jornalismo - CIMJ - de Lisboa. Sua experiência como pesquisadora é na área de Sociologia, com ênfase em Artes e Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: comunicação, arte, educação, sociologia e comunicação digital. É coordenadora do OBCOM - Núcleo de Apoio à Pesquisa - Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura da USP e vice-diretora do Departamento de Comunicações e Artes - CCA - da ECA/USP.

João Antônio de Paula – graduado em ciências econômicas pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestre em economia pela Unicamp e doutor em história econômica pela USP. É professor titular do Departamento de Ciências Econômicas e do Cedeplar. Foi Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento e Pró-Reitor de Extensão da UFMG. Tem experiência nas áreas de economia e história, com ênfase em história econômica e economia política, atuando principalmente nos seguintes temas: economia política, meio ambiente, história econômica, economia mineira, cidades.

Programação

Painel 1 – Arte e Política: Impasses e Horizontes - 31 de outubro
Maria Angélica Melendi (UFMG)
João Antônio de Paula (UFMG)
Cristina Castilho Costa (USP)

Painel 2  - O espaço da arte na sociedade brasileira hoje – 6 de novembro

Ângela Salgueiro Marques (UFMG)
Moacir dos Anjos (Fundação Joaquim Nabuco)
Ivana Bentes (UFRJ)


A resistência de artistas marcou parte da história brasileira na luta por democracia. O Memorial da Democracia, museu virtual dedicado às lutas democráticas, traz vários episódios dedicados à classe artística. Relembre, num capítulo especial, como foi a resistência cultural durante a ditadura militar .