Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Curso do mês: Filosofia e feminismo, com Marcia Tiburi.

Instituto Lula

Menu

Conheça os participantes do Encontro com intelectuais sul-americanos

18/01/2013 20:43

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva irá se encontrar nesta segunda-feira (21) com 30 intelectuais sul-americanos na busca por caminhos progressistas para o desenvolvimento e integração da América Latina, numa atividade promovido pelo Instituto Lula. “O objetivo deste encontro é identificar uma agenda prática de reflexão, mas também de ação. Definir um plano de trabalho para o desenvolvimento e a integração da América Latina”, explica Luiz Dulci, diretor do Instituto Lula e coordenador da Iniciativa América Latina, que junto com a Iniciativa África e o Memorial da Democracia formam os três eixos de trabalho do Instituto Lula.

Conheça abaixo quem são os participantes do evento.

BRASIL

Marco Aurélio Garcia – assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais - Formado em Filosofia e Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pós-graduado na Escola de Altos Estudos e Ciências Sociais de Paris. É professor aposentado do Departamento de História da Unicamp e lecionou na Universidade do Chile, na Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Chile) e nas Universidades de Paris-VIII e Paris-X (França). Foi Secretário de Cultura nos municípios de Campinas e São Paulo. Coordenou o Programa de Governo do Presidente Lula nas eleições de 1994, 1998 e 2006, e o Programa de Governo da Presidenta Dilma Rousseff na eleição de 2010. É assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais desde 2003.

Samuel Pinheiro Guimarães Neto – professor do Instituto Rio Branco - Diplomata, foi secretário-geral das Relações Exteriores do Ministério das Relações Exteriores, ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República e Alto-Representante Geral do Mercosul.  Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade Nacional de Direito, Universidade do Brasil. Mestre em Economia pela Boston University. Lecionou na Universidade de Brasília, Instituto Rio Branco, na Escola de Políticas Públicas e Governo (UFRJ) e no curso de Mestrado em Direito da UERJ. Foi coordenador do curso de Pós-Graduação em Comércio Exterior e Câmbio da FGV.

Marilena de Souza Chauí – filósofa e historiadora - Licenciada em Filosofia pela Universidade de São Paulo, com mestrado e doutorado pela mesma universidade. Foi Secretária Municipal de Cultura de São Paulo, de 1989 a 1992, durante a administração de Luiza Erundina. Livre-docente e professora titular da USP, com pós-doutorado pela BNP, Bibliotèque Nationale de Paris. Uma das mais renomadas e citadas intelectuais brasileiras, Marilena Chauí escreveu inúmeros livros, recebeu duas vezes o Prêmio Jabuti e os títulos de Doutor Honoris Causa pela Universidad Nacional de Córdoba, na Argentina, e pela Université de Paris VIII, na França.

Emir Simão Sader – cientista político, secretário executivo do Clacso - Graduado e mestre em Filosofia e doutor em Ciência Política pela USP. Atualmente é professor do Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Secretário Executivo do Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (Clacso). Foi pesquisador do Centro de Estudos Sócio Econômicos da Universidade do Chile e professor de Ciências Políticas na Unicamp. É autor de “A Vingança da História”, entre outros livros.

 Celso Luiz Nunes Amorim – Ministro da Defesa - Formou-se pelo Instituto Rio Branco em 1965, pós-graduado em Relações Internacionais pela Academia Diplomática de Viena, na Áustria, em 1967. Amorim foi professor de Língua Portuguesa do Instituto Rio Branco, professor de Ciência Política e Relações Internacionais da Universidade de Brasília (UnB) e é membro permanente do Departamento de Assuntos Internacionais do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo.Foi ministro das Relações Exteriores do governo Lula (2003-2010) e atualmente é ministro da Defesa.

Ingrid Sarti – Presidenta do Fomerco - Doutora (Iuperj) e Mestre em Ciência Política (Stanford University e Universidade de São Paulo), Bacharel em Ciências Sociais (Universidade de São Paulo). Professora associada de Ciência Política e Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do programa de Pós-graduação em Economia Política Internacional. Atualmente também é professora visitante no Instituto do Mercosul de Estudos Avançados da Universidade da Integração da América Latina (Unila), de cuja Comissão de Implantação fez parte. É membro do Comitê Diretivo do Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (Clacso) e presidenta do Fórum Universitário Mercosul (Fomerco). Coordenou o Programa de Pós-graduação em Ciência Política da UFRJ e integra a diretoria, Conselho Consultivo e Secretaria Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

 

 Luciano Coutinho – Presidente do BNDES - Nascido em Pernambuco, Luciano Coutinho é doutor em Economia pela Universidade de Cornell (EUA) e professor convidado da Unicamp. Mestre em Economia pelo Instituto de Pesquisas Econômicas da USP. Foi professor visitante nas Universidades de Paris XIII, do Texas, no Instituto Ortega y Gasset e na USP, além de professor titular na Unicamp. Formou-se em Economia pela USP. Especialista em economia industrial e internacional, escreveu e foi organizador de vários livros. Seus estudos acadêmicos sempre tiveram como temas principais a política industrial e o lado real da economia.

Wanderley Guilherme dos Santos – cientista político da UFRJ - Doutor em Ciência Política pela Stanford University e pós-doutor pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Hoje é professor aposentado de teoria política da UFRJ, sendo professor e fundador do Instituto Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro – IUPERJ. Notabilizou-se pelo texto "Quem Vai Dar o Golpe no Brasil", publicado em fevereiro de 1962, que prenunciou a derrubada do presidente Goulart em 1964 e se tornou referência bibliográfica nos meios acadêmicos. É autor de uma vasta e respeitada produção acadêmica. Atualmente é presidente da Fundação Casa de Rui Barbosa.

Ricardo de Medeiros Carneiro – diretor executivo para o Brasil e Suriname do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) - Defendeu tese de livre-docência em 2000, pelo Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas. Atuou como pesquisador associado na University of London - Institute of Latin American Studies. Obteve o título de doutor em economia em dezembro de 1984, no Instituto de Economia da Unicamp. É diretor executivo do Centro de Estudos de Conjuntura Econômica e Política econômica (Cecon), no IE da Unicamp e diretor executivo para o Brasil e Suriname do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). É professor titular da Universidade Estadual de Campinas.

 Antônio Prado – secretário adjunto da Cepal - Doutor em políticas econômicas para o desenvolvimento e mestre em economia industrial pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Lecionou na Universidade Católica de São Paulo e, mais recentemente, no Instituto Rio Branco, do Ministério das Relações Exteriores do Brasil. Como chefe de Assuntos Governamentais da Presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES, 2005-2009), dedicou-se a analisar políticas anti-inflacionárias e de desenvolvimento. Entre 2003 e 2004 foi assessor do líder da bancada governista do Senado. Foi diretor da Agência Brasileira de Promoção de Exportações (APEX), da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), e do Centro Celso Furtado. Entre 1990-2000, foi membro do conselho técnico e chefe da divisão de pesquisa do Dieese.

José Viegas Filho, diplomata, ex-ministro, presidente Centro Celso Furtado - Diplomata brasileiro, foi Embaixador do Brasil na Dinamarca, no Peru, na Rússia, na Espanha e na Itália, cargo que ocupa atualmente. Foi Ministro da Defesa no Governo Lula entre 2003 e 2004. Em 2012, foi eleito presidente do Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento.

Marcio Pochmann – presidente da Fundação Perseu Abramo - Doutor e mestre em ciência econômica pela Unicamp, formou-se em Economia pela UFRGS. Foi supervisor do Escritório Regional do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no Distrito Federal, além de docente na Universidade Católica de Brasília. Foi pesquisador do Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho (Cesit), do qual seria diretor-executivo anos mais tarde, assim como membro do corpo docente da Unicamp. Atuou como consultor no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e no Dieese, entre outras instituições nacionais. No plano internacional, foi consultor em diferentes organismos multilaterais das Nações Unidas, como a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal). No período de 2001 a 2004, em São Paulo, Pochmann dirigiu a Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Solidariedade durante o governo da prefeita Marta Suplicy. Foi presidente do Ipea antes de concorrer às eleições para a Prefeitura de Campinas em 2012.

Theotonio dos Santos Júnior – economista UFF - Graduado em Sociologia e Política e em Administração Pública pela Universidade Federal de Minas Gerais (1961), mestrado em Ciência Política pela Universidade de Brasília (1964), doutorado em Economia por Notório Saber pela Universidade Federal de Minas Gerais (1985) e doutorado em Economia Por Notório Saber pela Universidade Federal Fluminense (1995). Um dos formuladores da teoria da dependência, atualmente é um dos principais expoentes da teoria do sistema-mundo. Coordenador da Cátedra e Rede da UNESCO e da Universidade das Nações Unidas (UNU) sobre economia global e desenvolvimento sustentável (a REGGEN) e professor emérito da Universidade Federal Fluminense.

José Gomes Temporão – diretor executivo do Instituto Sul-americano de Governo em Saúde - Foi ministro da Saúde durante o segundo mandato do governo Lula. Formou-se na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1977. Especializou-se em Doenças Tropicais na mesma Universidade. Fez mestrado em Saúde Pública na Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz e doutorado em Medicina Social no Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Atualmente é Diretor Executivo do Instituto Sul-americano de Governo em Saúde. Foi secretário de Planejamento do INAMPS, presidente do Instituto Nacional do Câncer (INCA), presidente do Instituto Vital Brazil (IVB), sub-secretário Estadual de Saúde do Rio de Janeiro e sub-secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro.

Marcos Ferreira da Costa Lima – cientista político da UFPE - Graduado em filosofia política pela Université Montpellier Sciences et Techniques, da - França; mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco e doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas. Pós-doutorado pela Université Paris XIII- Villetaneuse. É professor do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal de Pernambuco. Presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais – ANPOCS (2011-2012) Atualmente ocupa a Cátedra Rui Barbosa no Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Leiden- Holanda (2012). Foi professor convidado da Universidad de la República do Uruguay (2011); do Institut de Science Politique de Lille França (2008); da Université Sorbonne Nouvelle (2003); da UniversityofWalles-Swansea (2005 e 2003). Foi presidente do Fórum Universitário Mercosul (Fomerco). É coordenador do Núcleo de Estudos e pesquisas regionais e do Desenvolvimento D&R (UFPE-CNPq).

Valter Pomar, secretário Executivo do Foro São Paulo - Secretário de Relações Internacionais do PT, Valter Pomar é secretário executivo do Foro de São Paulo, um encontro de representantes de partidos políticos e de organizações não governamentais de esquerda da América Latina e Caribe, criado em 1990.

Pablo Gentili, secretário-executivo do Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (Clacso) - Doutor em Educação pela Universidade de Buenos Aires, Pablo Gentilli nasceu na Argentina e desde 1992 reside no Brasil, onde é professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. É secretário executivo do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso) e diretor da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) no Brasil. Publicou mais de 20 livros sobre reformas educacionais na América Latina e no Caribe, alguns dos quais são referência para estudar o processo de privatização e analisar a dinâmica de exclusão que afetam a educação americana contemporânea. Lecionou em cursos de pós-graduação em mais de 30 países. Além de seu trabalho acadêmico, Pablo Gentili é um ativo militante em defesa da educação públicae  é um dos fundadores do Fórum Mundial de Educação, órgão associado ao Fórum Social Mundial.

Luiz Dulci, coordenador da Iniciativa América Latina no Instituto Lula - Secretário-geral da Presidência da República no governo Lula, Luiz Dulci coordena hoje a Iniciativa América Latina, um dos três eixos de trabalho do Instituto Lula. Formado em Letras Clássicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro,  tornou-se um militante do movimento sindical dos professores no Rio e em Minas Gerais, coordenando as primeiras grandes greves dos trabalhadores do Ensino Público. Participou da fundação do PT e da CUT (Central Única dos Trabalhadores). Foi deputado federal na primeira bancada do partido na Câmara dos Deputados, a partir de 1982. Trabalhou na prefeitura de Belo Horizonte nas gestões de Patrus Ananias e Célio de Castro e foi também presidente da Fundação Perseu Abramo, entre 1996 e 2003. Em 2002, foi um dos coordenadores da campanha de Lula à Presidência.

ARGENTINA

Horácio González – sociólogo , diretor geral da Biblioteca Nacional - Desde 2005, atua como diretor da Biblioteca Nacional da Argentina. Graduado em sociologia pela Universidade de Buenos Aires, em 1970, doutourou-se em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP) em 1992. É professor da Universidade de Buenos Aires, da Universidade Nacional de Rosário e da Faculdade Livre de Rosário. Edita, com Maria Pia Lopez, Christian Ferrer e outros, o “El ojo mocho”. Em 2004, recebeu o Prêmio Konex por sua contribuição às letras argentinas.

Aldo Ferrer – economista, embaixador da Argentina na França - Doutor em Ciências Econômicas pela Universidade de Buenos Aires. Foi ministro da Economia e Finanças da Província de Buenos Aires entre 1958 e 1960 e ministro da Economia nas presidências de Roberto Marcelo Levingston e Agustín Alejandro Lanusse. Foi coordenador da Comissão Organizadora do Conselho Latinoamericano de Ciências Sociais entre 1965 e 1967 e o primeiro secretário-executivo da Clacso, entre 1967 e 1970. Entre 1983 e 1987, foi presidente do Banco da Província de Buenos. Embaixador da Argentina na França desde agosto de 2011, exerce ativamente o papel de denunciar os efeitos negativos dos fenômenos da globalização financeira sobre os países periféricos.

Bernardo Kosacoff – economista, ex-diretor da Cepal - Licenciado em Economia pela Universidade Nacional de Buenos Aires, foi diretor da Comissão Econômica para a América Latina (Cepal-ONU), professor de Política Econômica da Universidade Nacional de Quilmes, professor de Organização Industrial na Universidade Nacional de Buenos Aires e professor-visitante na Faculdade de San Antonio, Oxford (1995). Atuou em instituições governamentais, organizações internacionais e universidades estrangeiras, como o Ministério da Economia, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Instituto de Desenvolvimento Alemão e a Fundação Volkswagen. Autor e editor de livros, ocupou também o cargo de presidente do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social (IDES).

BOLÍVIA

Moira Paz Estenssoro, diretora da CAF – Corporação Andina de Fomento - É bacharel em sociologia e economia pela American University e possui mestrado em Economia Aplicada com ênfase em Desenvolvimento Econômico também pela American University, Washington D.C. Ingressou no Banco Interamericano de Desenvolvimento no ano de 1980, onde atuou até 1986 como especialista de cooperação técnica. Entre 1986 e 1987, atuou como assessora do diretor-representante do Governo Boliviano no Banco Mundial. Trabalhou no Consulado da Bolívia no Rio de Janeiro entre 1988 e 1990, foi embaixadora da Bolívia na Itália entre 1993 e 1997 e consultora entre 1997 e 2001. Em 2002, foi eleita Senadora da República e Líder do Governo na Bolívia. Foi Ministra do Desenvolvimento Sustentável. Atualmente, ocupa o cargo de diretora representante do Banco de Desenvolvimento da América Latina no Brasil.

Ivonne Farah, cientista política, Clacso - Diretora do Centro de Pesquisas para o Desenvolvimento (Cides) da Universidade Mayor de San Andrés em La Paz, na Bolívia. Pesquisadora da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) na Bolívia.

 

COLÔMBIA

Gustavo Petro Urrego, economista, prefeito de Bogotá - Atual prefeito de Bogotá, é economista formado pela Universidade Externado da Colômbia e desde jovem ocupou diversos cargos políticos. Foi assessor do governo da Cundinamarca, trabalhou na Embaixada da Colômbia na Bélgica e foi eleito para cargos legislativos, entre eles o de senador da República, em 2006, com a segunda maior votação do país. Em outubro de 2011 foi eleito prefeito de Bogotá e tem inovado a atuação da Prefeitura em temas importantes como o combate à violência e às drogas.

URUGUAI

Alberto Couriel – economista, senador, atual vice-presidente do Senado - Atual vice-presidente do Senado, casa que ocupa desde 1995. Ingressou na Faculdade de Economia e Administração da Universidade da República como contador público e economista. Atuou como planejador-geral no Instituto de Planejamento Econômico e Social de Santiago do Chile. Além do Uruguai, Couriel foi professor na Espanha, no Brasil, no México, no Equador, na Nicarágua, em Honduras, no Peru, em El Salvador e no Chile. Seu primeiro cargo político de relevância foi conquistado em 1989, quando foi eleito deputado nacional. Em 1995 foi eleito senador, e posteriormente reeleito em 2000 e 2005.

Alvaro Padrón – cientista político, professor da Universidad de la República, diretor da Fundação Friedrich Ebert - Secretário-Geral do Instituto do Terceiro Mundo (ITEM), coordenador da Associação do Fórum Econômico e Social do Mercosul, coordenador da Secretaria Técnica e da Coordenação dos Sindicatos do Cone Sul, representante do PIT-CNT para o Mercosul, membro da Comissão Executiva da Fundação Liber Seregni. É também diretor de projetos da Fundação Friedrich Ebert (FES), no Uruguai, pesquisador e professor do Instituto de Ciência Política da Universidad de la República.

Christian Mirza – diretor geral do Instituto Social do Mercosul - Assistente Social pela Universidade da República Oriental do Uruguai. Mestre em Ciência Política pela Faculdade de Ciências Sociais da Universidade da República. Foi diretor do Instituto Nacional de Política Social do Ministério do Desenvolvimento Uruguai. Na Universidade da República, é professor associado e pesquisador, foi Diretor do Departamento de Serviço Social da Faculdade de Ciências Sociais. Em julho de 2011, assumiu a Diretoria Executiva ISM, nomeado pelo Governo da República Oriental do Uruguai.

PARAGUAI

Gustavo Codas - economista, ex-diretor geral da Itaipu Binacional - Estudou na Faculdade de Economia da Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Exilado, em 1983 veio para o Brasil. Entre 1985 e 1991, foi assessor do Sindicato dos Trabalhadores Químicos de São Paulo. Codas foi jornalista dos jornais Última Hora, ABC Color e Latin America Newsletter, de Londres. Desde que voltou ao Paraguai, em setembro de 2008 até janeiro de 2009, atuou como assessor do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Foi assessor de Relações Internacionais do governo de Fernando Lugo. Participou, em nome do governo uruguaio, das negociações ainda em curso, das dívidas da Petropar e da Yacyretá. Ex-diretor geral da usina hidroelétrica Itaipu.

Jorge Lara Castro – jurista, professor da Universidade Católica de Assunção, ex-ministro de Relações Exteriores - Ministro das Relações Exteriores do governo Lugo, entre março e junho de 2012. Advogado e professor universitário com mestrado em Sociologia. Pesquisador acadêmico, analista político e consultor em Relações Internacionais. Foi embaixador do Paraguai na ONU. Ocupou cargos de gestão e de representação na Cidade do México, durante os anos de 1980 a 1991, como bolsista de Pesquisa do Centro de Pesquisa e Ensino em Economia (CIDE), da Universidade Autônoma do México (UNAM). Foi Diretor de Planejamento de Pós-Graduação de Planejamento Econômico e Desenvolvimento Social no Centro de Investigaciones y Docencias Económicas (CIDE). Foi representante permanente junto às Nações Unidas, em Nova York, nos anos 1999-2001. Foi diretor no Programa de Ciências Sociais da Faculdade de Humanidades e Ciências Sociais da Universidade Católica de Assunção.

VENEZUELA

Ana María Sanjuán – consultora sênior para questões de democracia, Estado e Segurança da CAF - Cientista política venezuelana. Entre 1990 e 2005, foi diretora do Centro para a Paz e Integração, coordenadora das cátedras Colômbia, Brasil e América Latina e Caribe na Universidade Central da Venezuela. Entre 2005 e 2010, foi diretora do Centro para a Paz e Direitos Humanos na mesma universidade e do Conselho de Administração do Centro de Estudos Americanos. Professora visitante em diversas universidades da América Latina, tem numerosas publicações e artigos nos campos da democracia, segurança humana e política externa regional da Venezuela e da integração regional. Desde julho de 2010, é Consultora Sênior da Corporaciónm Andina de Fomento (CAF) sobre Democracia, Estado e Segurança Pública. Faz parte do grupo de experts do Woodrow Wilson Center, memorial do 28º presidente americano.

CHILE

Carlos Ominami – economista, ex-ministro da Economia, presidente da Fundação Chile 21 - Estudou no Instituto Nacional e na Faculdade de Economia e Ciências Administrativas da Universidade de Chile. Doutorado pela Universidade de Paris X - Nanterre. Durante seus dias de faculdade, entrou para a Frente Revolucionária Estudante (FER). Militante do Movimento de Esquerda Revolucionária (MIR) desde 1968, foi para o exílio em 1973, após a queda de presidente Salvador Allende. De 1978 a 1983, participou da Convergência Socialista, entrando para o Partido Socialista do Chile. Em 1989, foi vice-coordenador da área de Economia programa de governo. Foi ministro da Economia, Desenvolvimento e Reconstrução do presidente Patricio Aylwinentre de 1990 e 1992. Foi eleito senador para a Região Cordilheira, no final de 2001, e posteriormente reeleito.

Luis Maira – cientista político, ex-ministro do Planejamento e Cooperação - Formou-se em direito pela Universidade do Chile, fez cursos de relações internacionais nas universidades de Oxford e Bristol (1965) e na Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) (1969). Tornou-se diretor do Instituto de Estudos dos Estados Unidos no Centro de Docência Econômica (CIDE), professor da Universidade Autônoma do México, da Universidade Católica do Rio de Janeiro e da Flacso (Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais) no México e em Buenos Aires. Foi presidente da Federação de Estudantes da Universidade do Chile (Fech), em 1963-1964, e deputado para os períodos legislativos de 1965-1969 e de 1969-1973. Foi ministro de Planejamento e Cooperação do Chile, de 1994 a 1996.

EQUADOR

Enrique Ayala Mora – historiador, reitor da Universidade Andina Simón Bolívar - Graduado em 1968 pela Facultad de Pedagogía y Filosofía da  Universidad Católica. Também é  professor de História do Equador na Faculdade de Comunicação Social da Universidad Central del Ecuador e diretor de projetos da Corporación Editora Nacional. É doutor em Ciências da Educação. É membro do Comitê de Redação da História Geral da América Latina preparada pela Unesco e coordenador editorial da História da América Andina. É deputado pela província de Pichincha.