Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Curso do mês: Filosofia e feminismo, com Marcia Tiburi.

Instituto Lula

Menu

Instituto Lula apresenta projeto do Memorial da Democracia no Rio de Janeiro

30/11/2012 14:50

O Instituto Lula fez nesta quinta-feira (29) a primeira apresentação do Memorial da Democracia para o público do Rio de Janeiro. Participaram da reunião seguida de debate 40 convidados de diferentes áreas. Segundo o coordenador do projeto, Paulo Vannuchi, que é diretor do instituto Lula e ex-ministro de Direitos Humanos, comemorou o resultado do debate. "Eu já participei de diversas reuniões e trocas de ideia sobre o projeto. Algumas delas com a presença do ex-presidente. Eu acho que a qualidade das contribuições que conseguimos hoje foi algo visto raríssimas vezes. Estou muito contente com o resultado e pretendo fazer outros debates como este".

O Memorial da Democracia será um museu aberto a toda a população, com um formato de apresentação multimídia e interativo. O museu mostrará a história da luta pela democracia em nosso país. Será construído e mantido pelo Instituto Lula e localizado na região da Luz, em frente ao Museu da Resistência (Estação Pinacoteca, antigo Dops), ao lado da estação ferroviária e do Museu da Língua Portuguesa.

Em uma área cedida pela municipalidade, serão erguidos dois prédios distintos, interligados por passagens apenas nos andares superiores. No maior deles, a ideia é expor de forma inovadora, atraente, interativa, pedagógica, incluindo mecanismos de entretenimento, a longa caminhada do povo brasileiro em direção à democracia, desde as lutas pela liberdade na fase colonial até chegar aos dias de hoje. No outro bloco será organizado e aberto a visitas, consultas e pesquisas, o chamado Acervo Presidencial Privado do governo Lula (2003-2010), bem como documentos e registros de sua história anterior.

A proposta museológica geral foi apresentada por Heloísa Starling e Gringo Cardia. O arquiteto Francisco Fanucci mostrou as linhas e a concepção do desenho arquitetônico do museu. Em seguida, foi aberto um debate livre. Paulo Vannuchi anunciou que esta experiência, que já aconteceu em São Paulo, será repetida em outras cidades brasileiras. "Eu acho sensacional essa proposta de levar o projeto para ser debatido. Afinal, é um museu da democracia. Nada mais democrático do que isso", disse o deputado federal do PT-RJ Alessandro Molon, que acompanhou toda a apresentação. "Tive o prazer de encontrar aqui professores meus UFF, de encontrar velhos amigos e de acompanhar uma discussão rica".

Uma das professoras de Molon presente ao evento foi Ângela Castro Gomes, pesquisadora em História Política do Brasil e professora do CPDOC, o Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da FGV. Ângela, assim como outros presentes à reunião, avaliou a proposta arquitetônica e museológica, reforçando a necessidade de que o Memorial da Democracia seja um espaço plural, que contemple várias visões diferentes e democracia, e questionou a separação entre o espaço dedicado ao acervo presidencial de Lula e o Memorial em si. Segundo a proposta atual, o acervo do ex-presidente ficará em um prédio menor e separado do memorial.

Uma outra discussão importante foi sobre o caráter interativo do museu. Apesar da concordância com a necessidade de um projeto interativo, e não meramente contemplativo, como salientou o arquiteto e chargista Claudius Ceccon, também surgiu a preocupação com o equilíbrio entre educação, informação e interatividade. "Eu já acompanhei museus onde existe uma área com computadores e as crianças das escolas visitantes simplesmente esquecem o museu e se concentram só no computador. É preciso pensar nisso", lembrou a professora Ângela Castro Gomes.

Entre os convidados presentes à apresentação estavam ainda a psicanalista Cecília Boal, o cineasta Eduardo Escorel, a jornalista e tradutora Rosa Freire d'Aguiar, viúva do ex-ministro Celso Furtado, o professor de antropologia social José Sérgio Leite Lopes e Hildegard Angel, filha de Zuzu Angel.

As contribuições colhidas durante a reunião desta quinta-feira serão agora avaliadas pela equipe e eventualmente já incorporadas às próximas apresentações, ainda sem data para acontecer.