Instituto Lula

Doe agora
Menu

Lula reforça compromisso com integração após viagem a países andinos

12/06/2013 11:48

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

“Espero seguir seu exemplo e tornar a Colômbia um país mais justo”. As palavras do presidente colombiano Juan Manuel Santos ao ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva expressam a preocupação com a construção de uma América Latina mais justa e igualitária. Na semana passada, Lula esteve em três países da América do Sul: Colômbia, Peru e Equador. Ele e se encontrou com os três presidentes, que destacaram a importância do exemplo brasileiro para o continente. “Por seu trabalho em favor da democracia, da diminuição das desigualdades e pela aproximação entre os povos latino-americanos, Lula é um dos maiores artífices modernos da grande pátria com que sonhamos”, disse o presidente equatoriano Rafael Correa. A convergência de governos progressistas no continente deixa cada vez mais claro, também, que a integração não pode ser apenas comercial, mas precisa envolver a política, a infra-estrutura, a comunicação, a cultura, sindicatos e universidades. “Sozinhos podemos ser mais rápidos, mas juntos podemos avançar mais longe”, resumiu o presidente peruano Ollanta Humala.

Colômbia
O ex-presidente começou sua viagem pela Colômbia, no dia 3, onde teve um encontro com o prefeito de Bogotá, Gustavo Petro, sobre um intercâmbio maior de políticas públicas entre o Brasil e o governo da capital da Colômbia. Gustavo Petro tem inovado a atuação da prefeitura em temas importantes como o combate à violência e às drogas. Em janeiro ele esteve em São Paulo e participou do encontro com intelectuais sul-americanos “Caminhos progressistas para o desenvolvimento e integração regional”, promovido pelo Instituto Lula. Em abril, Lula gravou um vídeo em apoio ao Encontro Internacional pela Paz, promovido pela Prefeitura de Bogotá e diversas organizações sociais, com o respaldo do governo colombiano. “A mais poderosa arma em favor da paz é o diálogo”, disse Lula na ocasião. No mesmo dia, Lula jantou com o vice-presidente colombiano Angelino Garzón, que também foi dirigente sindical.

No dia seguinte, terça-feira (4), Lula se encontrou com o presidente colombiano Juan Manuel Santos e logo depois ambos seguiram para uma apresentação das políticas de combate à pobreza do governo colombiano, onde serão apresentados os programas “Famílias en accion” e “Mujer Ahorradora”. No evento, Santos lembrou que já havia dito, em 2011, que Lula era o exemplo de político que ele queria ser. “Espero seguir seu exemplo e tornar a Colômbia um país mais justo”, resumiu.

Peru
Ainda na terça-feira, Lula seguiu para o Peru, onde jantou com o presidente peruano Ollanta Humala e com a primeira-dama Nadine Heredia. Lula e Humala voltam a se encontrar na manhã seguinte, em Lima. Ambos discursaram em um encontro com Lula promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Peru em celebração aos 10 anos da Aliança Estratégica entre os dois países, firmada por Lula com o então presidente peruano Alejandro Toledo, em 2003. Em sua fala, Humala destacou o trabalho de Lula no combate à pobreza no Brasil e a favor da aproximação entre os dois países. “Sozinhos podemos ser mais rápidos, mas juntos podemos avançar mais longe”, resumiu o presidente peruano ao final de seu discurso. E recebeu de Lula uma afirmação de seu compromisso com a integração do continente. “No lugar onde eu estiver, na hora que for, a integração da América Latina para mim será uma profissão de fé”.

Lula e Humala comemoraram as conquistas desses últimos dez anos. Na última década, a corrente de comércio entre Brasil e Peru passou de US$ 650 milhões em 2002, para US$ 3,7 bilhões em 2012, o que significa um aumento de 464%. Desde 2012, praticamente todos os produtos peruanos entram no mercado brasileiro com alíquota zero. Em 2017, o mesmo deve ocorrer com produtos brasileiros vendidos ao Peru. A integração física também avançou significativamente, com obras como a conclusão da rodovia Transoceânica, que liga o Brasil ao litoral peruano, oferecendo uma alternativa de transporte de produtos brasileiros para o Pacífico e impulsionando a integração entre os dois países.

À tarde ele recebeu, das mãos da prefeita Susana Villarán, a Medalha Cidade de Lima. A prefeita justificou a distinção pelo trabalho de Lula no combate às desigualdades e a favor da educação e do emprego. “Fazemos votos para que continue por muito tempo com seu trabalho pela democracia, e pelo combate à pobreza e à desigualdade social. “Que este seja um símbolo da amizade e do carinho que temos a uma pessoa tão querida a nós”, completou.

No mesmo dia, Lula recebeu o título de doutor honoris causa pela Universidad San Marcos, a mais antiga das Américas, fundada em 1551. Após receber o prêmio das mãos do reitor Pedro Atilio Corillo Zegarra, Lula confessou a emoção especial pela condecoração desta universidade fundada em 1551. “Imaginem o orgulho de receber esse título da mesma universidade que concedeu honoris causa para San Martí e Simón Bolívar”. Na sequência, ele participou de um encontro com cerca de 400 jovens intitulado “Pela irmandade dos povos peruano e brasileiro”, onde recebeu a visita surpresa do jogador Paolo Guerrero, do Corinthians e da seleção peruana. O ex-presidente Lula pediu que os peruanos não desistam de seus sonhos e incentivou a participação política da juventude. “Enquanto a maioria diz não gostar de política, os países continuam sendo governados pela minoria que gosta”.

Na manhã seguinte, em sua última atividade antes de partir do Peru para o Equador, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontrou novamente com o presidente peruano Ollanta Humala e com a primeira dama Nadine Heredia em uma visita às obras do “Muelle de Minerales”, no porto de Callao. Lula conheceu projetos sociais de qualificação de trabalhadores e conversou com operários que trabalham na construção de uma correia transportadora de mais de três quilômetros que facilita e agiliza o carregamento de navios cargueiros que saem do Peru.

Equador
Lula chegou ao Equador na tarde de quinta-feira, dia 6, e foi ao encontro do presidente Rafael Correa. Lula congratulou Correa pela recente vitória eleitoral para o seu segundo mandato: “Parabéns pela grande força política que demonstrou nas eleições”. Correa agradeceu dizendo que “muito do que fazemos é inspirado no seu exemplo”. No início da noite, o ex-presidente recebeu das mãos do presidente equatoriano Rafael Correa a Ordem Nacional de San Lorenzo, a mais antiga do Equador, criada em 1809. Em seu discurso, Rafael Correa lembrou as origens de Lula e disse que ele é um dos principais protagonistas das transformações pelas quais o continente vem passando. “O Brasil é um país gigante, onde tudo se conta com seis ou sete zeros. O presidente Lula soube contar com o coração para mudar a vida de milhões de pessoas”.

À noite, o ex-presidente Lula falou a uma plateia de mais de duas mil pessoas no Teatro Nacional de la Casa de La Cultura, em Quito. Falando de improviso, Lula provocou risos e aplausos diversas vezes. Lula elogiou a transformação pela qual a América Latina passou nos últimos anos, com crescimento e diminuição das desigualdades. “Quando eu vejo o que aconteceu aqui no Equador, no Uruguai, na Argentina, quando eu vejo um índio governando a Bolívia, eu percebo que valeu a pena acreditar na política”. Na sequência, Lula jantou com o presidente equatoriano no Palácio Carondelet, sede do poder executivo.

No dia seguinte, sexta-feira (7), Lula falou a uma plateia de empresários sobre as relações Brasil e Equador. No encontro, Lula disse que os empresários, “que são quem transforma as decisões do governo em coisas práticas”, precisam fiscalizar e cobrar para que essas decisões não fiquem paradas nas gavetas da burocracia. Disse ainda que não entende como a banana equatoriana, que é exportada para todo o mundo, não pode entrar no Brasil e que é necessário trabalhar para a concretização do projeto Manta-Manaus, que liga o pacífico equatoriano à Amazônia brasileira.

Seu último compromisso no país aconteceu à tarde, quando ele recebeu dois títulos de doutor honoris causa, pela Universidad Andina Simón Bolívar e pela Escuela Politécnica del Litoral. As homenagens foram oferecidas na Sala Capitular San Agostín, mesmo local onde foi escrita a declaração de independência do Equador, em 1809. O reitor da Universidad Andina Simón Bolívar, Enrique Ayala Mora, disse que Lula é um exemplo para a integração da América Latina por ter consagrado um sistema de ideias que coloca o povo em primeiro lugar, ao mesmo tempo em que ouve todos os segmentos da sociedade. Sergio Flores, reitor da Escuela Politécnica del Litoral, destacou que “Lula estabeleceu uma nova maneira de governar ao assumir e cumprir o compromisso de lutar contra a fome e pela universalização do ensino”.

Em seu discurso de agradecimento, Lula disse o grande artista equatoriano Oswaldo Guayasamin tem uma frase que muito o impactou: “Chorei porque não tinha sapatos. Até que vi uma criança que não tinha pés”. E desafiou: “Temos que ser capazes de construir uma ética da solidariedade, um compromisso inalienável na luta contra todas as formas de sofrimento e humilhação produzidas pela miséria, o abandono e a exclusão”.

Lula encerrou reafirmando seu compromisso “de continuar trabalhando para tornar mais forte e ativa a integração entre o Equador e o Brasil”.

Todas as matérias sobre a viagem:

COLÔMBIA
Paz e integração latino-americana são temas de encontro de Lula e prefeito de Bogotá
Lula e prefeito de Bogotá discutem cooperação em políticas públicas
Lula janta com vice-presidente da Colômbia
Lula se reúne com o presidente colombiano Juan Manuel Santos
“Espero seguir seu exemplo e tornar a Colômbia um país mais justo”, afirma Santos a Lula (com áudio de Santos)

PERU
Em Lima, Lula se encontra com presidente peruano Ollanta Humala e primeira-dama Nadine Heredia
“Sozinhos, podemos ser mais rápidos, mas juntos podemos avançar mais longe”, diz presidente do Peru sobre integração (com áudios de Lula e Ollanta)
Por trabalho pela democracia e igualdade, Lula recebe Medalha Cidade de Lima
No Peru, Lula recebe honoris causa da universidade mais antiga das Américas (com discurso na íntegra)
Jogador Paolo Guerrero visita Lula em entrega de título de doutor honoris causa, em Lima
“Nós podemos construir um novo modelo de integração”, afirma Lula em Lima (com áudio da entrevista concedida a jornalistas)
Lula incentiva jovens peruanos a participar da política
Ao lado da primeira dama e do presidente peruanos, Lula visita obra de porto e conversa com trabalhadores

EQUADOR
Lula se reúne com presidente equatoriano Rafael Correa
Em Quito, Lula recebe a Condecoração da Ordem Nacional de San Lorenzo (com áudio de Rafael Correa)
“Os pobres deixaram de ser problema e passaram a ser solução na América Latina”, diz Lula em Quito (com áudio de Lula)
Presidente do Equador diz que Lula é grande artífice da integração da América Latina (com áudios de Lula e Correa)
No Equador, Lula recebe dois títulos de doutor honoris causa por exemplo à integração latino-americana (com áudio de Lula)