Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Curso do mês: Filosofia e feminismo, com Marcia Tiburi.

Instituto Lula

Menu

Instituto Lula participa de Núcleo de Mulheres

10/05/2019 14:35

Foto: Paulo Pinto

O Instituto Lula é um dos incentivadores e organizadores do Núcleo de Acompanhamento de Políticas Públicas para as Mulheres (NAPP), criado para monitorar os ataques do governo de Jair Bolsonaro(PSLà vida das mulheres na sociedade, foi lançado nesta quinta-feira (9) em São Paulo. O evento contou com a presença de diversas lideranças femininas, como a presidenta do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann e a secretária Nacional de Mulheres do PT, Anne Karolyne, bem como de lideranças de coletivos e de outros partidos como PSOL e PCdoB.

O grupo suprapartidário, possui como um dos objetivos alcançar as mulheres que vivem em locais mais isolados do Brasil, para que todas possam ter seus direitos defendidos do rastro de destruição que Bolsonaro está provocando.

A Secretária Nacional de Mulheres do PT, Anne Karolyne explicou que o NAPP não será só para acompanhamento dos desmandos de Bolsonaro que atingem a população feminina, mas um local onde as mulheres podem ter “como espaço de estratégia e resistência que irá percorrer o Brasil, porque o impacto é em todos os lugares, principalmente para as mulheres mais pobres, as negras, as indígenas. Esse governo é inimigo das mulheres e isso está muito claro a cada passo que ele dá, por isso esse espaço que a gente pode se fortalecer e enfrentar”.

Foto: Paulo Pinto

Lançamento NAPP Mulher

A Presidenta Nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) reafirmou a importância do Núcleo ser suprapartidário, além de ter diversos movimentos sociais envolvidos em sua construção. “Esse governo veio para destruir, ele não está aí para governar, a função dele é destruir a Constituição, os direitos, a democracia, portanto a nossa luta tem que ser de todos e sem tréguas”.

Ela falou também sobre os cortes que Bolsonaro promoveu na educação e os números altíssimos de desempregoque hoje assolam o país e ocasionaram na volta da fome. “Esses cortes prejudicam principalmente as mulheres, mas não tenho dúvidas de que iremos travar uma grande luta, com a participação da juventude. Estamos vendo as praças públicas, com pessoas implorando dinheiro para comer, coisa que a gente não via há muito tempo, porque a fome, um direito básico, era algo que já estávamos vencendo no Brasil”.

A ex-ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres do governo Dilma RousseffEleonora Menicucci, também esteve presente e agradeceu o apoio de todas as mulheres que juntas estão construindo o NAPP.

Eleonora também falou sobre a preocupação com o decreto de Bolsonaro que flexibiliza o porte e uso de armas. “Isso é gravíssimo para toda a população brasileira, mas eu destaco aqui a gravidade para as mulheres, principalmente para as negras, pobres, indígenas e as rurais que se encontram na mira dos ruralistas, é um ‘liberou geral’ para o feminicídio, por isso nós temos uma tarefa de mostrar a importância do sujeito mulher nas lutas, porque não há projeto social sem que as mulheres estejam paritariamente em todas as frentes”.

O NAPP aproveitou a ocasião para lançar seu primeiro documento em que analisa os primeiros 100 dias de governo Bolsonaro e os ataques e prejuízos. As mulheres do Núcleo também convocaram a todas e todos para ir às ruas no dia 15 de maio em defesa da educação pública no Brasil.

Por Jéssica Rodrigues, para a Secretaria Nacional de Mulheres do PT