Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Curso do mês: Filosofia e feminismo, com Marcia Tiburi.

Instituto Lula

Menu

Ambiente e agricultura ganharam com separação de pastas no governo Lula

31/10/2018 16:03

Foto: Divulgação

 Meio Ambiente, Agricultura Familiar e Agronegócio só cresceram nos anos Lula

No momento que se caminha para a fusão do Minsitério da Agricultura com o do Meio Ambiente, pauta que divide até os ruralistas , vale recuperar os dados históricos e visitar os resultados dos governos Lula.

Agricultura Familiar

Responsável por mais de 70% da comida que vai para a mesa do brasileiro  a Agricultura Familiar foi um marco no desenvolvimento do campo no Brasil. Com linhas de financiamento para jovens, mulheres, além do pequeno produtor. Os produtores passaram a contar com políticas integradas de crédito, assistência técnica, comercialização, seguro e garantia de preço.

Lula e Dilma expandiram o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) que já existia, mas 76% dos estabelecimentos familiares não tinham acesso a ele. Lula e Dilma elevaram o volume de crédito, que saltou de R$ 2,2 bilhões em 2002/2003 para R$ 24,1 bilhões em 2014/2015. 

De 2003 a 2014 foram assentados e receberam o título de propriedade de terras um número recorde de 771 mil famílias segundo dados do Incra . Neste período foram criados um Ceará e um Mato Grosso do Sul de assentamentos. Mais de 51 milhões de hectares em 3902 núcleos.

Mas não foi só a terra que foi dada, os assentados passaram a contar com crédito, assistência técnica, construção e reforma de moradias, abertura de estradas, instalação de água e luz elétrica, sementes de alta qualidade genética, garantia de venda da produção, ampliação dos níveis de escolarização, entre outros benefícios.

“Vamos incentivar a agricultura familiar, vamos financiá-la, vamos levar assistência técnica, pois, se depender deste país, ninguém vai passar fome no mundo. Nós já temos uma agricultura empresarial que não perde para nenhuma outra do mundo. Precisamos agora fazer a nossa agricultura familiar disputar com qualquer país, pois nós temos o que eles não têm e temos hoje a disposição política de fazer.”

(Luis Inácio Lula da Silva, 30/5/2008, durante solenidade de assinatura do Acordo de Cooperação Federativa do Territórios da Cidadania, em Belém)

Agronegócio

Os anos Lula e Dilma transformaram o agronegócio brasileiro em um dos maiores exportadores do planeta. A safra cresceu 98% em 12 anos. Pulando de 96 milhões de toneladas (2001/2002) para 191 milhões de toneladas na safra 2013/2014.  O volume de crédito subiu cinco vezes. Dos R$ 27,6 bilhões da safra 2002/2003 (a última antes do governo Lula) para os R$ 156,1 bilhões do Plano Agrícola e Pecuário 2014/2015, o maior da história. Isso tudo protegendo o meio ambiente. Enquanto a produção de grãos cresceu 98%, a área cultivada aumentou apenas 40%.

Meio Ambiente

Mas o cuidado com o meio ambiente não esmoreceu . Nos anos Lula e Dilma os desmatamentos foram reduzidos em 79% entre 2004 e 2015 . Nos tornamos um dos maiores geradores de energia eólica do mundo . O oitavo para ser exato. Entre 2010 e 2013 deixamos de lançar na atmosfera  uma média de 650 milhões de toneladas de dióxido de carbono por ano. Com os 30% no período , fomos os líderes mundias em redução de emissão de gases de efeito estufa (GEE).

Nos anos Lula foram mais de 30 leis e decretos criados para a melhoria do meio ambiente . E projetos como o Política Nacional de Segurança de Barragens, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a Política Nacional da Mudança do Clima, o Fundo Nacional do Clima, a Política Nacional de Aquicultura e Pesca foram criados para ainda mais segurança e controle.

Uma prova que se um governo quiser é sim possível mesclar desenvolvimento com respeito a natureza, ao meio ambiente e aos povos que lá habitam.