Instituto Lula

Doe agora
Menu

Jornalista vê 'política do futuro' na Vigília Lula Livre

06/08/2019 09:52

Vijay Prashad, ao centro, em entrevista na Vigília Lula Livre, espaço de resistência, segundo ele / Foto: André Cardoso

Do Brasil de Fato

No dia de ontem (4), domingo, a Vigília Lula Livre recebeu a visita de Vijay Prashad. Ele é integrante do Instituto Tricontinental de Pesquisa Social, historiador e jornalista, membro do Partido Comunista da Índia e editor-chefe da Editora Leftwords Books.

O jornalista fez questão de conhecer, em um final de tarde gélido, os principais pontos que marcaram a luta contra a prisão considerada política do ex-presidente. O centro cultural Marielle Vive e o antigo cruzamento de ruas onde ficava a chamada “Praça Olga Benário”. Participou também do ato inter-religioso das 18h, que ocorre todo domingo na própria Vigília, local que completa hoje (segunda) 485 dias.

Prashad ressaltou a conexão entre as pessoas em defesa da democracia. Classificou a vigília como expressão de resistência:

“Estamos em um momento muito duro ao redor do mundo. E todos estamos buscando maneiras de se conectar com as pessoas. O primeiro ponto da política é a conexão e esse parece ser um lugar cheio de conexões. São diferentes movimentos, diferentes tipos de pessoas e eles parecem se preocupar, ter carinho um pelo outro”, analisa o historiador e jornalista.

Perto de chegar aos 500 dias de organização contra a prisão de Lula, a lista de presença da Vigília Lula Livre passa de 40 mil pessoas. Entre as quais encontram-se também jornalistas, militantes e visitantes internacionais. Prashad vincula o que as organizações sociais classificam como ataque contra a democracia como algo comum hoje em vários países do mundo. Ao mesmo tempo, resistências surgem. “A raiz da política do futuro é quando as pessoas são capazes de se importar uma pelas outras. E esses diferentes espaços de resistência já são exemplos disso”, convoca.

Lula já recebeu cinco ex-presidentes

Lula já recebeu também a visita direta, além de lideranças de vários espectros da esquerda, nomes da social-democracia europeia, do sindicalismo estadunidense e de celebridades como o ator Danny Glover.

Cinco ex-presidentes também o visitaram no interior da superintendência da Polícia Federal, no bairro do Santa Cândida, em Curitiba, entre eles: Pepe Mujica (Uruguai), Ernesto Samper (Colômbia), Massimo D’Alema (Itália), Dilma Rousseff e Eduardo Duhalde (Argentina). Aguarda-se nas próximas semanas o ex-primeiro-ministro da Espanha, José Zapatero.

Edição: Pedro Carrano (BdF)