Instituto Lula

Menu

Lula: ser contra a integração sul-americana é atraso político

13/05/2015 12:58

Fotografia: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Na manhã dessa quarta-feira (13), aconteceu a abertura do seminário “A integração das cadeias produtivas na América do Sul”, promovido pelo Instituto Lula e a Unasul (União das Nações Sul-Americanas) em São Paulo. Com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o evento contou com a palestra de Ernesto Samper, secretário-geral da Unasul e ex-presidente da Colômbia.

Na mesa de abertura, Samper falou sobre o papel da Unasul em aprofundar a integração em torno de três eixos: manutenção da paz, da democracia e dos direitos humanos. "Agora, queremos que esse conceito de direitos humanos inclua os direitos econômicos e sociais. Entre os fatores que levaram à criação da Unasul estava a esperança de que, depois da ofensiva neoliberal dos anos 1990, que criou 180 milhões de pobres, um novo caminho se iniciaria, com a decisão de redirecionar o Estado a favor de mais atuação social. Se não somos a região mais pobre, somos a mais desigual do planeta. Por isso o desafio da Unasul nos próximos 20 anos é melhorar as condições de desigualdade que temos", disse. "Nosso grande desafio é agregar valor ao que temos", concluiu, em crítica ao modelo de exportações de matérias-primas.

Lula fez sua fala inicial lembrando que o comércio entre os países da Unasul era de US$ 35 bilhões, em 2003, e hoje chega a US$ 120 bilhões, apesar da oposição a essa opção do governo brasileiro. O ex-presidente ressaltou os desafios políticos de realizar a integração econômica."

Tem gente no Brasil que critica que empresas estão indo produzir no Paraguai ao invés  de produzir aqui. Nós enfrentamos adversidade política quando esse pessoal deveria estar mais maduro. Pessoas que se apresentam ao mundo como pessoas avançadas  dizem que financiar o porto de Mariel [em Cuba] ou o Metrô de Caracas [na Venezuela] é dar dinheiro aos outros. É atraso político, a submissão ao que tem de mais atrasado no mundo", ponderou.

Entre os setores que Lula destacou como estratégicos para a integração, estão alimentos,indústria naval e de aviação. "É preciso criar grupos de trabalho permanentes na Unasul para discutir a integração produtiva", defendeu. 

Ouça às falas de Lula e Samper abaixo: