Instituto Lula

Doe agora
Menu

Zapatero a Lula: Nunca vi um líder fazer mais pelos pobres

23/11/2019 18:25

Zapatero e Lula na sede do Instituto / Foto: Ricardo Stuckert

O ex-primeiro-ministro da Espanha, José Luís Rodrígues Zapatero, visitou o Instituto Lula na última sexta-feira (22). Zapatero teve uma reunião com o ex-presidente, ao lado de Dilma Rousseff e do ex-ministro de relações exteriores Celso Amorim. Zapatero governou a Espanha de 2004 a 2011, período coincidente com boa parte do governo Lula no Brasil (2003-2010). O grupo almoçou junto na sede do Instituto. 

Zapatero já tinha viagem marcada para o Brasil e previa ir para Curitiba visitar Lula na Superintendência da Polícia Federal. Mas, com a libertação de Lula, não precisou encontrá-lo na capital do Paraná. “Iria visitá-lo na prisão, mas estou muito mais feliz de te ver livre”, disse, ao cumprimentar o ex-presidente.

Lula e Zapatero conversaram sobre a situação política na América Latina e na Europa, diante de ameaças da extrema direita contra a democracia nas duas regiões. Zapatero compõe com Lula o grupo de Puebla, que reúne líderes progressistas de todo o mundo, entre eles Alberto Fernandéz (Argentina), Dilma Rousseff (Brasil), José “Pepe” Mujica (Uruguai), Fernando Lugo (Paraguai) e Ernesto Samper (Colômbia).

Horas depois da visita ao Instituto Lula, o espanhol participou da Conferência Internacional  promovida durante o 7º Congresso do PT. Lá, Zapatero aproveitou sua fala para reforçar o destaque político que Lula possui e para pedir a união dos países latino-americanos. “Eu e Lula trabalhamos junto em muitos projetos. Eu posso dizer que nunca conheci um líder politico que fez mais pelos pobres e para diminuir a desigualdade que ele. Esse é Lula. A América Latina precisa se unir, para que o continente seja forte e defenda os princípios democráticos. Companheiros do PT, essa é uma luta dura e difícil, mas não cabe a sensação de derrota, porque a vitória está por vir e será muito melhor. Com Lula vamos seguir lutando”.

Também na Conferência Internacional, a ex-presidenta da República Dilma Rousseff encerrou o debate dizendo que existe esperança para derrotar os governos de extrema direita e a destruição que eles provocam. “Nós vivemos uma etapa do capitalismo em que o neoliberalismo assume a direção e o controle sobre qualquer atividade produtiva. E cria a mais grave característica desse sistema que é uma brutal concentração de renda. Então, nós hoje temos que ter a consciência de que o Brasil precisa da América Latina, para de fato ser um país livre e desenvolvido. É essa consciência que faz com que tenhamos alegria quando Alberto e Cristina ganharam a eleição na Argentina, é a luz no fim do túnel. Portanto, a nossa luta democrática aqui é uma luta contra o neoliberalismo e a desigualdade”, afirmou.